Aos novos iniciados.

Ao iniciar-vos em seus Mistérios, a Maçonaria quer fazer de vós homens escolhidos, sábios e pensadores, elevando-vos sobre a massa dos seres que em nada pensam.

Não pensar é consentir em ser dominado, conduzido, dirigido e tratado comumente como um animal de carga. É por suas faculdades intelectuais que o homem se distingue do bruto. O pensamento o torna livre e vos dá o império do mundo.

Pensar é reinar.

Mas o Pensador tem sido uma exceção.

Noutro tempo quando o homem teve ocasião de se abandonar ao recolhimento, se perdeu no sonho; em nossos dias cai um excesso contrário; a luta pela vida o absolve até ao ponto que não fica tempo para meditar com calma e cultivar a Arte suprema de Pensar. Pois, esta Arte chamada de Grande Arte ou a Arte por excelência, corresponde a Maçonaria ao fazê-lo reviver entre nós.

A intelectualidade humana não pode continuar debatendo-se entre dois ensinamentos que excluem a uma e a outra o pensamento: entre a igreja baseada na fé cega; e as escolas que sentenciam os dogmas de nossas novas crenças científicas.

Agora que tudo conspira para evitar a nossos contemporâneos a pena de pensar, é indispensável que uma instituição poderosa faça reviver o estandarte das tradições que esquecem. Faltam-nos pensadores e não é nosso ensinamento universitário a que pode formá-los.

O pensador não é um homem que sabe muito. Não dever ter a memória sobrecarregada de recordações embaraçosas. É um espírito livre que não tem necessidade nem de catequizar nem de doutrinar. 

O pensador se forma por si mesmo, é filho de suas obras. A Maçonaria o sabe e evita inculcar-lhe dogmas. Contrariamente as Religiões não pretendem estar em possessão da verdade. A Maçonaria não só se limita a por em vigilância contra os erros (o erro), assim como trabalha com ardor em que cada um busque a Verdade, a Justiça e a Beleza.

A Maçonaria repudia a fraseologia e as fórmulas com as quais os espíritos vulgares se empenham para engalanar-se de todos os ouros de um falso saber. Quer obrigar a seus adeptos a pensar e dar, em consequência, seu ensinamento debaixo do véu das alegorias e dos símbolos, convida, assim mesmo a reflexionar a fim de que apliquem a compreender e a descobrir.

Oswald Wirth.

Fonte: http://tallermasonico.blogspot.com