Sobre a Loja Alferes

História da Loja

Corria o ano de 1977 e o ambiente maçônico estava agitado de realizações. A Grande Loja de Santa Catarina inaugurava o seu Templo próprio no Edifício Executivo Acácia, aspiração de todos quantos lutaram para que este ideal fosse alcançado. Florianópolis sediava a X Assembléia Geral da Confederação da Maçonaria Simbólica do Brasil (CMSB) e coube ao Grão Mestre da Grande Loja de Santa Catarina a presidência do órgão. No Grande Oriente de Santa Catarina o Irmão Miguel Kristakis é eleito para Presidente do Colégio de Grãos Mestres da Maçonaria Brasileira.
Na efervescência destes acontecimentos político-maçônicos, da mais alta importância para a Maçonaria Catarinense, alguns irmãos da Loja Pitágoras, unidos por ideal comum e por pontos de vista convergentes articulam a fundação de uma nova Loja Simbólica no Oriente de Florianópolis.
Inicialmente pensava-se na fundação de um Triângulo Maçônico para trabalhar no Rito de York e que se dedicasse aos aspectos mais transcendentais da Ordem. Na realidade o Triângulo nunca foi fundado e partiu-se, então para a fundação de uma Loja.
 

Fundação da Loja

Em uma noite fria de julho, mais precisamente no dia 1º de julho de 1977, diversos irmãos, previamente contatados, reuniram-se na Sala da Assembléia Legislativa da Grande Loja de Santa Catarina, para fundarem mais uma Loja Maçônica no Oriente de Florianópolis. Esse grupo era composto dos seguintes Irmãos, todos obreiros da ARLS.·. Pitágoras Nº 15:
» Salomão Mery Rachid.
» Lourival Fernandes de Oliveira.
» Fausto Nilton Botelho.
» Gilberto Homero Pereira.
» Mauro César da Silva Goulart. 
» Patrício Octacílio de Medeiros. 
» José Carlos Domingues Carneiro. 
» Sérgio Boppré.
» Rubem Lira.
» Walter Boppré.
» Wilson Mariot.
 
Vale a pena transcrever a fundação da Loja como está na Ata da Fundação ou Balaústre nº 1, que foi autenticada e conferida com a original no Cartório Odilon Bartolomeu Vieira, no Estreito, no dia 11 de julho de 1977
 
Ao primeiro dia do mês de julho, do ano de mil novecentos e setenta e sete, da E.·. V.·., às vinte horas, no Salão de Reuniões da Muito Respeitável Grande Loja de Santa Catarina, reuniram-se os IIr.·. Salomão Mery Rachid, Lourival Fernandes de Oliveira, Fausto Nilton Botelho, Gilberto Homero Pereira, Mauro César da Silva Goulart, Patrício Octacílio de Medeiros, José Carlos Domingues Carneiro, Sérgio Boppré, Rubem Lira e Walter Boppré, todos Mestres Maçons e Vilson Mariot, Aprendiz Maçom, Obreiros da Augusta e Respeitável Loja Simbólica Pitágoras nº 15, com a finalidade de fundação de mais uma Loja Simbólica neste Oriente de Florianópolis e sob os auspícios da M.·. R.·. Grande Loja de Santa Catarina. 
Preliminarmente, foi convidado o Irmão Sérgio Boppré para secretariar a presente reunião. Aceitando a incumbência, o Irmão Sérgio Boppré, disse da responsabilidade que todos os Irmãos presentes assumiram com a fundação de uma nova Loja, lembrando que os Irmãos Walter Boppré e ele inclusive participaram da reunião como fundadores, continuando a integrar o quadro de suas Lojas, a "Pitágoras" nº 15 e "14 de Julho" nº 3, mas que davam pleno apoio à iniciativa, auxiliando no que fosse necessário no fortalecimento das colunas da nova Loja. 
A seguir informou que de acordo com o artigo 165, parágrafo primeiro do Regulamento Geral, seriam necessários 20 (vinte) Mestres Maçons para a fundação de uma nova Loja, visto existir no Oriente duas Lojas, mas estava certo que o Ser.·. Grão Mestre, Ir.·. Wilson Filomeno, dispensaria as formalidades regulamentares tendo em vista o seu interesse de aumentar o número de Lojas na Jurisdição. Para título distintivo da Loja, o Ir.·. Salomão Mery Rachid propôs o de "Tiradentes", em homenagem ao Ir.·. Alpheu Ferreira Linhares, que sempre desejou a fundação de uma Loja com este título na jurisdição. Colocada em votação a proposta foi aceita por unanimidade.
A seguir, de acordo com o artigo 166 do Regulamento Geral, foi constituída a Administração Provisória como segue: 
Venerável Mestre: Salomão Mery Rachid.
1º Vigilante: Fausto Nilton Botelho.
2º Vigilante: Mauro César da Silva Goulart.
Orador: Patrício Octacílio de Medeiros.
Secretário: Lourival Fernandes de Oliveira.
Tesoureiro: Gilberto Homero Pereira.
Mestre de Cerimônias: José Carlos Domingues Carneiro.
Guarda do Templo: Vilson Mariot.
Sendo os demais cargos ocupados "pro tempore" pelos Irmãos que aguardam à fundação da Loja. Considerada empossada a Administração Provisória, o Ir.·. Salomão Mery Rachid, solicitou ao Ir.·. Secretário que tomasse as providências do artigo 167 e seus parágrafos do Regulamento Geral junto à M.·. R.·. Grande Loja de Santa Catarina, para obtenção da Carta Provisional, marcando para o próximo dia 8 (oito) a primeira Reunião Ritualística da Loja. 
Usando a palavra o Irmão Sérgio Boppré, congratulou-se com os Irmãos presentes pelo surgimento da nova Loja, augurando felicidade e contínuo progresso.
Encerramento: Nada mais havendo para tratar, encerrou o Venerável Mestre a presente reunião e, de tudo para constar, eu, Sérgio Boppré, Secretário "Ad-hoc", lavrei o presente Balaústre, que depois de lido e achado conforme, vai assinado por todos os Irmãos fundadores presentes. 
 

As reuniões preparatórias ou preliminares.

A Loja Tiradentes foi tendo semana a semana as suas reuniões ritualísticas, preparando-se para o dia em que obteria a sua Carta Constitutiva, posto que até então, se reunia sob a égide de uma Carta Provisional.
Nossos assentamentos de frequência nos dão o registro de que dos fundadores, houve até quem não comparecesse a sua primeira reunião ritualística.
Desta forma, o importante e o heróico não são apenas fundar uma Loja, mas sim mantê-la com as suas colunas erguidas. 
 

De Tiradentes à Alferes Tiradentes.

Na sua quinta reunião ritualística, o Irmão Manoel Gomes, em visita à novel Oficina, apresentou uma Peça de Arquitetura sobre a vida do Patrono da Loja, dizendo ao final, que existiam 14 Lojas com o título distintivo de TIRADENTES espalhadas pelo Brasil, porém nenhuma com título distintivo de ALFERES TIRADENTES e propôs que se alterasse o título distintivo da Loja para ALFERES TIRADENTES, o que foi aceito por unanimidade. 
 

Principais efemêrides do seu desenvolvimento.

A Loja Alferes Tiradentes ia aos poucos ganhando o seu espaço e terreno no âmbito da realização maçônica, a despeito das hostilidades que ainda sofria. O último apelido que recebera fora de "Loja Rebelde". Talvez tenha sido esta expressão que tenha dado fibra aos Irmãos da Alferes Tiradentes, uma vez que, "rebelde", fora também o seu Patrono e a Loja deveria honrar o seu nome.
No dia 12/05/1978, foram iniciados na Loja Pitágoras os quatro primeiros Obreiros, iniciados e sindicados pela Loja Alferes Tiradentes:
 
» Lonarte Sperling Veloso (Até hoje frequentador assíduo à Loja).
» Lúcio Lauro Xavier da Rosa. 
» Noir Manoel Bruno. 
» Thésio Silva. 
 
Em 26/05/1978, o Venerável Mestre designou os Irmãos Mauro César da Silva Goulart, Patrício Octacílio de Medeiros e Walter Pacheco Júnior para redigirem e apresentarem ao Plenário da Loja um anteprojeto de Regimento Interno da Oficina, sendo aprovado em Sessão de 16/06/1978. Esse Regimento Interno durou bastante tempo, sendo modificado em 1992 e novamente modificado e aprovado em Sessão Plenária do dia 24 de outubro de 1997 e homologado pela Comissão Superior da M.·. R.·. Grande Loja de Santa Catarina.
Em 18 de abril de 2008 foi aprovado pelo Plenário o novo Regimento Interno e homologado pelo Grande Loja de Santa Catarina. 
 

Primeiro aniversário da Loja Alferes Tiradentes.

Na Sessão do dia 30/06/1978, a Loja Alferes Tiradentes estava engalanada. Havia visitantes de todas as Lojas, e estavam presentes todas as autoridades maçônicas.
Ordem do Dia era dedicada ao primeiro aniversário da Loja. Inicialmente o Venerável Mestre solicitou que o Irmão Sérgio Boppré, autor do Balaústre de Fundação, efetuasse para revigorar a memória a decifração do seu traçado. Posteriormente, foi incumbido ao Ir.·. Walter Pacheco Júnior que fizesse a leitura de uma Peça de Arquitetura de autoria do Irmão Manoel Gomes, a respeito do Alferes Tiradentes. Fazendo um breve intróito, aproveitando a presença do Irmão Manoel Gomes, o Irmão Walter Pacheco Júnior solicitou que ele mesmo fizesse a apresentação da sua Peça, no que foi prontamente atendido, para conclusão da Ordem do Dia, o Venerável Mestre retornou a palavra ao Irmão Walter Pacheco Júnior, que alegando diversos considerandos, finalizou: "Diante dos fatos e desta forma, Ser.·. Grão Mestre, em nome do Venerável Mestre da Loja Alferes Tiradentes e do seu Quadro de Obreiros, requeiro à Vossa Serenidade, à vista da documentação disponível, que seja deferida à nossa Loja a concessão da Carta Constitucional".
A Carta Constitucional foi deferida pelo Grão Mestre em 04/08/1978 e festivamente entregue em Loja no dia 06/09/1978.
 

A primeira eleição.

Constituída definitivamente a Loja Alferes Tiradentes e ganhando foros de regularidade face à concessão da Carta Constitutiva, começou, então, a sucessão das administrações. 
A primeira eleição da Loja ocorreu no dia 23/08/1978, ponto de partida para a primeira administração regular.
"Comprometer-se e Aperfeiçoar-se" - clique aqui para ver a administração atual e as administrações anteriores.
 

Operação Triângulo.

“No ano de 1985 realizou-se em Florianópolis a primeira eleição para o executivo municipal após o término do período ditatorial, durante o qual o cargo de prefeito era ocupado por indicação de Brasília. Entre os candidatos havia dois maçons, Francisco de Assis Filho, obreiro da Loja Alferes Tiradentes, e Ênio Branco, da loja Ordem e Trabalho, do GOBSC. 
Decidiu-se então promover reuniões conjuntas dos obreiros das três obediências para oportunizar aos irmãos candidatos a apresentação de suas plataformas eleitorais aos seus pares, com o nome de “OPERAÇÃO TRIÂNGULO”. 
Assim, em reuniões promovidas pelas Lojas Alferes Tiradentes, Regeneração Catarinense e Fraternidade Catarinense, os dois irmãos foram ouvidos e questionados. Todas as sessões contaram com a presença de número significativo de irmãos, lotando as dependências dos templos onde foram realizadas. As três sessões, tiveram lugar primeiro na Loja Regeneração Catarinense, a segunda na Loja Fraternidade Catarinense e a terceira na Loja Alferes Tiradentes. O Grão Mestre de cada Obediência presidia a sessão que era realizada em loja de sua jurisdição”. 
Para tomar melhor conhecimento da "Operação Triângulo" o Ir.·. Eleutério Nicolau da Conceição escreveu uma Peça de Arquitetura que poderá ser acessada aqui
 
 
AUG.·. e RESP.·. LOJA SIMB.·. ALFERES TIRADENTES, fundada em 1º de julho de 1977, adota como título distintivo o cognome do Mártir da Independência do Brasil "ALFERES TIRADENTES", sendo filiada a M.·. R.·. Grande Loja de Santa Catarina, sob o nº 20 e é constituída de "homens livres e de bons costumes", iniciados regularmente nos Augustos Mistérios da Maçonaria Universal.
A Sede e Foro da Loja é na cidade de FLORIANÓPOLIS, Estado de SANTA CATARINA, funcionando no prédio da "Associação das Lojas Amigas de Hiran" - ALAH, situado à rua Bias Peixoto nº 200, Jardim Itaguaçu, bairro Abraão, CEP: 88085-400.