Alavanca

Meus Irmãos, uma das missões de um Venerável Mestre é saber manejar muito bem os instrumentos simbólicos da Maçonaria que estão à nossa disposição. São esses instrumentos simbólicos que nos darão a serenidade suficiente para levar uma Loja para o seu êxito.

Passei várias semanas dedicando-me com muito afinco à Maçonaria com a vontade constante de querer fazer uma Loja cada vez mais harmoniosa e alegre, pois a Maçonaria, como disse o Grão-Mestre da Grande Loja Maçônica do Rio Grande do Sul, Irmão Paulo Roberto Pithan, a Maçonaria deve ser “uma Maçonaria alegre, porque para ser séria deve ser alegre. O convívio ser fraterno para ser verdadeiro. Precisamos sentir falta uns dos outros".

Isso mesmo “sentir a falta uns dos outros”. E isto é o que chamamos de fraternidade. E quero dizer aos meus Irmãos que não existe sensação terrível, do que quando ocorre um tipo de separação da Loja, quando um Irmão pede filiação e outro Irmão joga para os outros Irmãos decidirem que era “ele ou o Irmão que queria se filiar”. É a pior situação que um administrador pode sentir. Mas, com esta crise o que deveria fazer? Usar as ferramentas simbólicas para sanar a crise. E qual a ferramenta usada? A Alavanca.

Quero dizer aos Irmãos que não existe melhor instrumento que este. Porque “a lição da alavanca é que não há peso que não possa ser removido e, assim, os obstáculos serão removidos, embora ultrapassados, pois a alavanca apenas suspende e, desequilibrando o peso, faz com que este se mova”. E conseguimos mover o peso, em razão de que precisava apenas de um “ponto de apoio” e sabem onde encontrar o “ponto de apoio”? Os próprios Irmãos do quadro da Loja. Estes se movimentaram e fizeram o desequilíbrio do peso movendo o Irmão a voltar atrás de sua decisão ameaçadora para aceitar o Irmão que queria se filiar. 

E quero afirmar aqui que em “nossa vida quando nos deparamos com algum obstáculo a ser removido e que expressa um esforço impossível, o maçom deve evocar a alavanca e buscar esse ‘ponto de apoio’”. Isto baseado no que disse Arquimedes: "Dai-me um ponto de apoio que erguerei o mundo". E com isso ergui a Loja e, hoje estou “contente e satisfeito”.

Reafirmo que a Maçonaria é muito especial e maravilhosa porque junta o que chamamos de “Luzes” para conduzir a Loja. Porque o “nível, simbolicamente, nos ensina que devemos pautar nossa vida dentro do equilíbrio, a fim de que nossas ações se ajustem à perfeição do desejo, dando o equilíbrio necessário para que nossa obra seja permanente e estável, na medida justa e satisfatória. Assim, o nível e o prumo formam o dualismo perfeito e conduzem à sabedoria”.

Que continuemos sempre assim.

Que o Grande Arquiteto do Universo nos proteja e nos guarde.

 

 

Juarez de Oliveira Castro

Mestre Maçom (Instalado) da Loja "Alferes Tiradentes" Nº 20

Sob a obediência da M∴R∴G∴L∴S∴C∴

Florianópolis-SC