VENHA VER

VENHA VER

 

 

O que restou de tudo o que vivemos, das promessas
que fizemos, do amor que juramos.
Mudamos a história.
Seguimos caminhos diferentes, nas confusas
encruzilhadas da vida.
Os acenos falsos da sedução, os sorrisos sem graça
e sem razão, cegaram a realidade, mataram aquela
linda paixão.
O vento geme, grita de dor, trazendo a chuva, 
lembrando as lágrimas derramadas por aquele amor.
As forças se esvaem por entre as mãos, postas como
numa prece, e sem piedade, desaparecem.
E os meus olhos choram de saudade daquela grande 
felicidade !
Venha ver, sim, venha ver como eu, o nada do que 
restou...
 

Sinval Santos Silveira

 

 
Veja mais poemas do autor

Clicando no seu BLOG: https://poesiasinval.blogspot.com        


* Sinval Santos da Silveira
Obreiro da ARLS... "Alferes Tiradentes"
Registrado sob o nº 20 na M... R... Grande Loja de Santa Catarina
Or... de Florianópolis/Santa Catarina

.