PARA QUE JAMAIS ME ESQUEÇAS
 

 

Não me permitirás seguir os teus passos,

nem que olhe nos teus olhos, ou que ouça

a tua voz...

Não poderei saciar minha sede na tua fonte.

O telhado que te abriga, jamais me abrigará.

Nem mesmo o sol que te aquece, me aquecerá.

A prata do luar, não me pratará, porque todo o

seu encanto, a ti pertencerá !

Mas, quando sentires o doce aroma da açucena,

de mim lembrarás.

Os passarinhos te dirão, num gorjeio sem cessar,

que nesta  flor, tão cheirosa, escrevi teu nome para

meu amor eternizar !

Os rios seguirão seu curso, à procura do teu

olhar !

Nem mesmo as cachoeiras, ou as pedras da

ribanceira, calarão o canto do sabiá laranjeira,

que te lembrará, pela vida inteira, o nome que

deixei gravado no perfum

 

 
* Sinval Santos da Silveira
Veja mais poemas do autor

Clicando no seu BLOG: https://poesiasinval.blogspot.com        

Sinval Santos da Silveira
Obreiro da ARLS... "Alferes Tiradentes"
Registrado sob o nº 20 na M... R... Grande Loja de Santa Catarina
Or... de Florianópolis/Santa Catarina

 
 

 
 
"A verdade deve manifestar-se em nossos pensamentos, nossas palavras e nossas ações"
 
Mahatma Gandhi
"Jamais permita que os nós tapem a vista da janela, pois será através dela que enxergaremos a oportunidade dos laços!"

 

Áureo dos Santos