A Maçonaria Iniciática

Nos meus primeiros anos de maçonaria, há 26 anos atrás, o Ir... Ed Côrtes Costa M...M... inteligente e estudioso, passou-me a informação que a Maçonaria tinha duas faces: uma exterior, visível, palpável chamada Exotérica e outra oculta, interna, acessível só aos iniciados, denominada de Esotérica. O entendimento dessa só podia ser alcançado pelos Maçons. Esta explicação me acompanha na vida maçônica. Quanto mais estudo, pesquiso o verdadeiro significado da segunda face, mas longe parece que eu fico de entender o verdadeiro Esoterismo, ou seja, o elemento espiritual da Maçonaria.

Tenho conseguido conhecimentos importantes sobre o assunto, que quero dividir com meus leitores. O conhecimento secreto da maçonaria, ou seja, o esoterismo ou misticismo maçônico não se adquire em livros, revistas, palestras, pois é uma introspecção íntima, uma experiência pessoal, única, que não é possível dividir com outros. Cada maçom tem o seu caminho que é singular, extraordinário e subjetivo.

Hoje existem livros, revistas que podem ser comprados em livrarias, bancas de jornal, com inúmeras facetas, como as cartas de Tarot, horóscopos, cristais que curam doenças, terapias alternativas e aí vai. Intitulam-se como ciências ocultas transmitidas por supostos conhecimentos de gurus ou os segredos da Ordem Maçônica revelados e a disposição do público. Nestas publicações nada existe do conhecimento oculto ou esotérico da Maçonaria, pois se tal fosse deixaria de sê-lo quando tornado público. Tudo que se divulga nos livros e revistas dessa ciência cultivada pelos maçons nada tem haver com a mesma.

Todo o conhecimento oculto ou esotérico não pode ser transmitido para o homem comum sem um longo e adequado preparo. É impossível transmitir a ciência ou doutrina iniciática para curiosos. Exemplificamos com o conhecimento médico que tem o seu jargão e nos deixa confuso quando conversam em nossa presença. Não é possível penetrar em seu mundo, pois a medicina é uma ciência verdadeiramente oculta para nós leigos. Precisamos de anos e anos de estudo para penetrar no seu âmago. O mesmo corre com o esoterismo maçônico em sua forma honesta e saudável para incorporá-lo em nossa vida, por ser uma escola iniciática.

O verdadeiro conhecimento espiritual da escola iniciática maçônica não se encontra em livros e quem o encontra não pode transmiti-lo. Ele é uma experiência pessoal, ou seja, uma vivência solitária da alma. Uma filosofia pode ser aprendida tanto por homens como pelas mulheres de boa vontade, mas a experiência iniciática, esotérica ou mística não. Ela é uma para cada pessoa. É irreprodutível. Não há uma fórmula para o crescimento iniciático, porque os seres humanos diferem um do outro.

Os processos iniciáticos são deliberadamente velados para evitar que com seu vazamento sejam malversados por incautos, entusiastas ou fanáticos. Assim como no mundo científico há tecnologias guardadas a sete chaves, como por exemplo, entre muitos, os segredos do manuseio da energia nuclear e sua utilização nos mais diversos setores humanos.

Não é qualquer um que pode ser postulante do esoterismo iniciático maçônico. Se fosse assim seria o caso de um aluno do 1° Grau de Ensino se submeter a um exame de mestrado. Há muitos conhecimentos restritos aos maçons do passado que hoje são do domínio público. Eram secretos pelo medo de seus membros serem queimados pelas autoridades religiosas ou perseguidos pelo sistema político vigente.

O caminho iniciático difere do da religião organizada. O sentido e objetivo dos dois são confundidos. O caminho iniciático é uma conquista solitária, pessoal, individual, enquanto o da religião é uma senda coletiva de crescimento espiritual. O iniciado parte de dentro para fora, enquanto o religioso procura no exterior as normas de conduta, inspiração e fé. O iniciado procura Deus dentro de si, um Deus transcendente, rejeita normas externas, a autoridade e tudo que constrange em sua procura pela divindade e verdade.

Às vezes a busca do iniciado não é direta e exatamente Deus, mas a verdade, o conhecimento, a iluminação, o mistério da própria alma e o do mundo oculto pelos sentidos. Sua deliberação é pessoal e se impõe uma disciplina emocional e mental capazes para atingir seu alvo, ou seja, o encontro consigo mesmo dentro da luz,

Para um iniciado os livros sagrados, os ensinamentos religiosos são secundários. O que o preocupa é uma experiência pessoal, o encontro íntimo com o que procura. O religioso diz: “creio em Deus”; o iniciado proclama “eu sinto Deus”. O iniciado come a fruta do pomar e o religioso se deleita em estudar seu sabor e perfume, sem tomá-las nas mãos e sem saboreá-la.

O conhecimento iniciático é muito mais sensorial que intelectual. Toda experiência iniciática é pessoal. Traz um conteúdo emocional, inefável e intransferível. É considerada secreta uma vez que não pode ser comunicada por palavras. É a diferença de quem toma uma fruta em suas mãos e a come daquele que a estuda e medita sobre sua forma, sabor e perfume.

A iniciação maçônica é uma assimilação, uma identificação, uma entrada de mente e coração para dentro de algo que se procura para se identificar com a realidade espiritual humana.

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::>

Autor

Ir... Ivo Reinaldo Christ

"A verdade deve manifestar-se em nossos pensamentos, nossas palavras e nossas ações"
 
Mahatma Gandhi
"Jamais permita que os nós tapem a vista da janela, pois será através dela que enxergaremos a oportunidade dos laços!"

 

Áureo dos Santos