Humanismo Maçônico

A imagem mais tradicional da ação da Maçonaria sobre o homem é aquela que vemos o próprio homem se lavrando e surgindo de um bloco de pedra.

Talvez, o Irmão não se dê conta, mas esta imagem é exatamente uma contraposição ao Teocentrismo Medieval, que apregoava serem a origem, a ação e o destino de tudo e de todos fundamentados apenas em dogmas religiosos.

 

Em oposição a esta doutrina surge o Antropocentrismo apresentando a supremacia do homem, dotado de inteligência e discernimento como ferramentas adequadas para gerar o bem, manter o que é bom e garantir um futuro de felicidade.

 

Nosso foco não é tratarmos de teísmo, deísmo, agnóstico ou ateísmo e muito menos um pensamento anticlerical. Nossa herança Iluminista nos coloca como agentes de transformação social “.......tornar feliz a humanidade........” e sob ponto de vista material, devemos estar no “centro do universo”.

 

Ao Maçom cabe posturas éticas e razão, que lhe darão respeitabilidade e credibilidade para cumprir seu papel de construtor social.

 

A Maçonaria, como filosofia moral, integrou para seu o corpo o Humanismo secular que “é a corrente filosófica que tem como doutrina a razão humana, a justiça social e ética. O humanismo é uma postura ética, cultural, filosófica e artística surgida no século XV, na Europa, que enfatiza a importância dos próprios seres humanos como fonte de formação de valores.”

 

Sete são os principais pontos de interseção entre Maçonaria e Humanismo:

· O homem é o responsável direto pelos seus atos e conseqüências. Não credita ao sobrenatural as consequências dos vícios ou a falta de virtude. (malho e cinzel)

 

· O homem é dotado de meios para chegar à solução de um problema por evidências claras, aceitáveis e precisas; e usa, permanentemente, a razão. (régua e prumo)

 

· A moralidade e a ética dos atos não devem ser fundamentadas em preceitos religiosos, mas na honestidade, no amor e no respeito. (esquadro e nível)

 

· Como unidade base da sociedade, o homem procura sua realização pessoal e a ela insere o compartilhamento e a ação de sua evolução. (alavanca e trolha)

 

· Não há crenças com verdades absolutas. Os dogmas restringem as transformações naturais do homem e da sociedade. (compasso e transferidor)

 

· Na observação de pontos de vista divergentes, o homem equaliza as circunstâncias que o envolvem para a transformação necessária a evolução. (lápis e cordel)

 

· O desenvolvimento da sensibilidade, seja no campo das artes ou das questões sociais, amplia a percepção de sua torpeza e lhe traz inspiração para aparar arestas e reconhecer o sublime em ângulos harmônicos (pedra bruta e pedra cúbica)

 

“O conhecimento humanista produz ideas.

As ideias produzem sonhos. os sonhos transformam a sociedade.”

Augusto Cury

 

DEDICO este artigo aos amados Obreiros da ARLS Caminhos da Paz e Virtude 104 do Oriente de Nova Ponte e da ARLS Novos Tem- pos 288 do Oriente de Belo Horizonte, Irmãos sempre prontos para cumprir nossa missão social.

 

Sinto muito. Me perdoe. Sou grato. Te amo. Vamos em Frente!

 

Neste décimo terceiro ano de compartilhamento de instruções maçônicas, continuaremos incentivando os Irmãos a enriquecerem o Quarto de Hora de Estudo. Indiferente de graus ou cargos, somos todos responsáveis pela qualidade dos trabalhos em nossa Oficina.

 

Imprima este trabalho e deixe entre seus materiais maçônicos, havendo oportunidade solicite ao Venerável Mestre sua leitura e promova o intercambio de ideias.

 

Fraternalmente

Sérgio Quirino

Grande Primeiro Vigilante GLMMG

"Jamais permita que os nós tapem a vista da janela, pois será através dela que enxergaremos a oportunidade dos laços!"
Áureo dos Santos