Maçonaria em Varginha - Sul de Minas.

Varginha é município localizado no Sul de Minas Gerais. Destaca-se por ser um dos principais centros de comércio e produção de café do Brasil e do mundo, polo de exportação, fazendo comércio do grão de excelente qualidade com diversos países. Localização privilegiada, distante de Belo Horizonte, 318 quilômetros, 316 de São Paulo e 380 do Rio de Janeiro, situada na porta de entrada do circuito do lago de Furnas, com aproximadamente 140 mil habitantes. Possui diversas instituições de ensino superior, Escola Técnica Federal, universidades particulares, cursos profissionalizantes e cursos técnicos. A marca Minas Sul é da Cooperativa dos cafeicultores de Varginha, fundada em 1958, que estimula, defende e fortalece o cooperativismo, promovendo o estímulo e a defesa das atividades dos produtores.

Cheguei em Varginha, a convite do Venerável Mestre José Henrique Doriguetto e patrocínio da Loja Maçônica “União e Humanidade”. Fui recebido pela fidalguia maçônica mineira, entre os dias 18 e 20 de novembro, proferindo palestra sobre “Maçonaria a Favor da Vida - Contra as Drogas”, no Teatro Capitólio. Com o Grão-Mestre Amintas de Araújo Xavier, do Grande Oriente do Brasil - Minas Gerais, participei de uma concorrida sessão comemorativa aos 91 anos de fundação da Loja Maçônica “União e Humanidade”, número 1000, fundada em 18 de novembro de 1923. Seu primeiro Venerável foi João de Castro Megda, empossado em 21 de abril de 1924.

Em sua história, sintetizada na pesquisa apresentada pelo deputado federal maçônico José Antônio de Freitas, a Loja “União e Humanidade” sempre foi presente e atuante em Varginha, até enfrentando intolerâncias. Instalou uma Caixa Auxiliadora. Faz campanha de orientação aos perigos de uso de drogas. Realizou durante muitos anos o “Ano Bom”, campanha de ajuda aos necessitados. De 1937 a 1940, as reuniões foram suspensas por determinação do presidente Getúlio Vargas. Foi muito positiva socialmente a existência da Caixa de Assistência ao Menor, patrocinada pelos membros da Loja que obtinha aparelhos médicos hospitalares, instalados no Hospital Regional de Varginha. De marca muito expressiva foi a realização durante muitos anos da “Festa Italiana”.

A Caixa de Assistência Social “União e Humanidade”, que substituiu a Caixa de Assistência ao Menor, foi declarada de utilidade pública, por fabricação, doação de fraldas e empréstimos de equipamentos hospitalares, como cadeira de rodas e camas. Ainda hoje, milhares de fraldas são distribuídas mensalmente. Na sua estrutura os jovens têm campo especial de atuação através da “Ordem DeMolay”, “Filhas de Jó” e “Abelhinhas”. As mulheres de maçons iniciaram um novo tempo de atividade e integração da família, através da fundação da Fraternidade Feminina Cruzeiro do Sul de Varginha.

É uma história social de muita importância, gozando a Loja “União e Humanidade”, de muita credibilidade e reconhecimento da população e autoridades de variados setores, mormente pela respeitabilidade dos integrantes da Loja perante os munícipes. Os maçons de Varginha são também construtores da história da cidade, que se iniciou em 1780, conforme os primeiros documentos.

Após participar da comemoração dos 91 anos, tomei conhecimento da grandeza da maçonaria de Varginha e região. O ato foi prestigiado por mais de uma centena de integrantes da Ordem. No dia seguinte proferi palestra à professores, alunos, pais e autoridades. Fui apresentado no Teatro Capitólio pelo Prefeito Municipal Antônio Silva e Venerável José Henrique Doriguetto, quando abordei “Maçonaria a Favor da Vida - Contra as Drogas”, focando o tema prevenção ao uso de drogas. O evento me possibilitou contato em perguntas e respostas aos presentes e conhecer o excelente trabalho da Vereadora Racibe de Fátima Faria, que desde 1999 dedica suas forças, muito lutando para manter em funcionamento a “Associação Comunitária de Recuperação Novo Caminho - ACRENOC”. Compareceram vários integrantes da instituição, que recebe apoio de maçons, população e voluntários em geral. A mensagem de prevenção ao uso de drogas, foi transmitida à população através de entrevistas às rádios Clube, Melodia, Itatiaia e Vanguarda, concedidas por mim e pelo Venerável.

Ao retornar fui muito questionado se cheguei a ver “ET” em Varginha. Por este motivo a cidade ficou conhecida internacionalmente. Respondi que não vi “ET”, mas que pela gentileza de José Henrique Dorigueto, passei por locais onde há monumentos de um suposto “ET” e também visitei a parte externa do memorial ainda paralisado e inacabado, mas a prefeitura planeja concluí-lo, pois é ponto turístico.

Quanto a ter existido ou não, dúvidas ficam, muitos desacreditando, mas inúmeros outros contando a história como se presentes estivessem, admitindo como verdade a existência do “ET” em Varginha. Centenas de notícias foram divulgadas em revistas, jornais, reportagens especiais na TV do Brasil, reproduzidas no exterior. Encontrei em síntese, a seguinte história:

“No dia 20 de janeiro de 1996, as irmãs Liliane e Valquíria da Silva, acompanhadas de Kátia Xavier, passavam perto de um terreno baldio, no bairro de Andere, quando dizem ter avistado uma criatura com aparência extraterrestre. O ser era marrom, tinha enormes olhos vermelhos e três protuberâncias na cabeça, que era a maior parte do corpo. Elas dizem ter visto três dedos em cada mão e outros dois nos pés - todos sem unhas.

Com a popularização da lenda, estátuas, pontos de ônibus, ET´s em tamanho gigante foram espalhados pela cidade. 

Varginha recebe muitos ufólogos e gente curiosa. Tiram fotos, compram lembrancinhas, chaveiros, como eu fiz. Na verdade, não sei se o ET existiu, mas ele é muito simpático, agrada as crianças e o fato contribuiu para tornar Varginha conhecida além fronteiras do país. Hoje é uma referência turística, como a caixa d’água representando uma nave espacial, em uma das praças principais da cidade.

Um comentário bem humorado da presidente Dilma Rousseff, quando de uma visita à cidade, fortaleceu a mídia da lenda do ET de Varginha. Durante passagem pelo município, ela brincou com a figura, dizendo ter "muito respeito" por ele. A frase foi dita durante entrevista à duas rádios e rapidamente se alastrou na internet, repercutindo nas redes sociais e relembrando os tempos em que o ET esteve no auge.

As Lojas Maçônicas “União e Humanidade”, “Acácia do Sul de Minas”, “Vinte de Agosto” e “Fraternidade Varginhese”, recebem os visitantes com os seguintes dizeres registrados no Monumento Maçônico, em praça de entrada da cidade:

“Os Maçons do Oriente de Varginha se orgulham em fazer parte dessa Instituição Milenar que é a Maçonaria.

São os  escolhidos pelo Grande Arquiteto do Universo para a nobre e honrosa missão de trabalhar na construção do edifício social em nossa cidade e região. 

A todos que por este Oriente passarem, recebam as nossas boas vindas”.


* Barbosa Nunes

advogado, ex-radialista, membro da AGI, delegado de polícia aposentado, professor e maçom do Grande Oriente do Brasil 

barbosanunes@terra.com.br.

Fonte: Artigo 207, de Barbosa Nunes, publicado no Jornal Diário da Manhã, edição 31/01/2015.

"Jamais permita que os nós tapem a vista da janela, pois será através dela que enxergaremos a oportunidade dos laços!"
Áureo dos Santos