Movimento dos Pseudos Democratas.

Como graduado e pós-graduado em Ciências Políticas e Planejamento Estratégico, vejo com preocupação os momentos pelos quais estamos passando. Não é mais uma questão político partidária, mas uma questão de dignidade da pessoa humana mesmo.

As pessoas vivem preocupadas, com medo... um estado de coisas que incomoda, provoca, perturba... um estado de incertezas, onde somos zombados, debochados... os valores invertidos solapam o bem mais precioso de uma sociedade: a família.

Não trata mais de ser a favor ou contra a uma Dilma Rousseff ou um Aécio Neves. Mas de repudiar esse estado de coisas que estamos vivendo..., o qual está esgotado e ao mesmo tempo nos esgotando. Estamos ao leo, sem representação e quase sem dignidade, porque agora, estão praticando uma palavra  bastante usada nas páginas do Aurélio, que jazia escondida, tímida, mas que adentrou no mundo da moda chamada: “vandalismo”.

Um Luiz XVI guilhotinado fez de Robespierre um herói, na França. No Brasil, se alguém gritar alto contra a opressão é considerado um vândalo. Fosse hoje Luther King e Nelson Mandela teriam fracassado – porque seriam vândalos. Fosse hoje EUA nunca deixariam de ser uma Colônia britânica, porque Abraão Lincoln e Washington Luiz seriam vândalos. E os “vândalos” devem ser destruídos, não é mesmo? Afinal a história é cheia de “vândalos e Justiniano”. Oh mídia poderosa!

Controle a mídia e controlará a gramática, os costumes, os valores, o mundo. Estou preocupado. Não posso falar de democracia, porque nunca conheci uma democracia pura. Nem sei se existe. Talvez Voltaire soubesse. É. Acredito que sim. Mas acredito que posso falar dos estágios oriundos de uma falsa democracia, ou pseudo-democracia: a tirania (estamos vivenciando) e sua filha Anarquia (estamos às portas).

Hoje temos outros tipos de vândalos que são uns tremendos irresponsáveis, bandidos, corruptos, das trevas, do mal e covarde, pois, se acontecer o que está se falando nas redes sociais, será mais um ponto negativo para o Brasil, para a nossa pobre Democracia. Continuo pedindo a Deus que toda essa irresponsabilidade seja resolvida, a curto ou em médio prazo, sem violência. Caso isso não venha a ocorrer, "espero" que no primeiro dia do "reinício" da revolução (continuação da de 1964, que ainda não acabou) toda a liderança do Movimento Sem Terra - MST e do ”Movimento Black Bloc’’  sejam presas”. Com isso, ficariam sem liderança já no início. Não vamos esquecer que o MST e os Blac Bloc é um bando (quase uma quadrilha) pessimamente armado e financiado. O confronto direto seria uma grande covardia, que, com certeza, prejudicaria o Exército e não a esses antidemocratas. Portanto, o planejamento deverá ser cirúrgico. Espero que as hipóteses já tenham sido levantadas e os planos já prontos, sendo atualizados de acordo com a evolução dos acontecimentos. Por outro lado, continuo com esperança de uma solução de bom termo.

Autor


* Valdecir Martins – Membro da União Brasileira de Escritores – UBE/MS.

Bacharel em Adm. de Empresas - Policial Militar – Sgt. PM. Graduado e Pós-Graduado em Ciências Políticas e Planejamento Estratégico pela UCDB/ADESG, XXI CEPE. E-mail: akinathonster@gmail.com 
Site: www.administradores.com.br/home/akinathon.

 

"A verdade deve manifestar-se em nossos pensamentos, nossas palavras e nossas ações"
 
Mahatma Gandhi
"Jamais permita que os nós tapem a vista da janela, pois será através dela que enxergaremos a oportunidade dos laços!"

 

Áureo dos Santos