Não posso me conformar.

Vivemos numa época em que tudo parece ser normal. A violência é normal, a falta de respeito é normal, a desonestidade é normal! Mas, será que é mesmo?

Será que posso me conformar com o roubo, com os homicídios, com a violência doméstica, com o descaso político, com a falta de educação das pessoas? Creio que não, porque se começo a achar que isso é normal, daqui a pouco acabarei aceitando tudo o que aí está e ficarei misturado à canalhice, à imoralidade e à falta de vergonha na cara.

Mas, não vamos falar dos outros, deixe-me falar de mim e, se possível, que cada um fale de si, sem egotrip, mas, como exercício de autoanálise.

Eu não roubo, não paro em fila dupla, não estaciono em lugares proibidos, não jogo lixo em via pública, acordo cedo e vou trabalhar, respeito meus empregadores, clientes, colaboradores, fornecedores e parceiros comerciais. Trato a todos com a educação e a consideração que merecem.

Ah! Também não gosto de palavras de baixo calão, olho as pessoas nos olhos, cumpro os acordos escritos ou verbais e, sempre que possível, tento transmitir positividade e otimismo aos que tabalham comigo, mas, alertando para que cada um cumpra o que se propôs a fazer, com a devida responsabilidade e sem justificativas furadas.

Um detalhe importante: Não busco a perfeição, até porque nas relações humanas todos somos imperfeitos em algo, em maior ou menor intensidade. O problema ocorre quando as pessoas começam a buscar mais justificativas e desculpas do que ações efetivas, resultados e soluçõas.

Se você é operário, líder, dona de casa ou aposentado, lembre-se que deve fazer o seu melhor em profissionalismo e nas relações interpessoais, inspirando a todos que estão ao seu redor para também fazê-lo. Chega do mais ou menos e das justificativas vazias. Procure agir fazendo a coisa certa e você verá que os bons resultados vêm de forma mais segura, constante e positiva!

 

Quando isso acontece, também começamos a achar que tudo é normal, pois se eu uso a desculpa de que sou humano e por isso não pude atingir o resultado esperado, o homicida, o bandido e o salafrário também poderão usar essa mesma desculpa.

- Puxa, errei! Matei, roubei e enganei, mas, quem não erra, não é mesmo? Afinal, todos somos humanos!

É claro que as dimensões são outras, lógico, mas, a essência é a mesma.

Quando começo a achar que é normal a falta de vontade, de comprometimento e de resultados, também abro as portas para o excesso de tolerância e a empatia, mas, tudo tem limites e assim como eu prezo em fazer o que está ao meu alcance para realizar algo em que me comprometi espero, ao menos, que o outro também o faça.

Essa visão pode ser um pouco fantasiosa, pois todos têm noções diferentes do que é, de fato, a sua responsabilidade. Mas, independentemente dessa visão ser ou não utópica, não posso me agastar de meus princípios do que entendo ser correto, justo e possível de se alcançar com o devido esforço e ação prática.

Então, se você é vendedor ou operador de telemaketing, não se conforme com um resultado ruim, esforce-se mais, busque a motivação interior e os recursos necessários para obter o sucesso em seus contatos. Se você é empresário, não espere do Governo nem do Mercado as melhores condições de atuação, porque dificilmente essa espera resultará em êxito. Se você é operário, líder, dona de casa ou aposentado, lembre-se que deve fazer o seu melhor em profissionalismo e nas relações interpessoais, inspirando a todos que estão ao seu redor para também fazê-lo. Chega do mais ou menos e das justificativas vazias. Procure agir fazendo a coisa certa e você verá que os bons resultados vêm de forma mais segura, constante e positiva!

* Gerson Raul Persike

É um especialista em vendas, atendimento, telesserviços e preparação de lideranças empresariais. Empresário, é filósofo e consultor de Empresas nas áreas de gestão, capacitação de lideranças e formação de equipes motivadas e produtivas. Diretor da empresa Comunicação & Mercado, sócio da empresa Orbis Tecnologia em Gestão, também é gestor do Call Center da Fundação Pró-Rim. Articulista do jornal "Notícias do Dia" / Caderno "Negócios Já" é consultor e palestrante internacional, efetuando cursos, palestras motivacionais, gestão e planejamento comerciais e de atendimento para Organização de sucesso no Brasil e Mercosul.

E-mail: comercial@cmtreinamento.com.br - Site: www.cmtreinamento.com.br.

 

 

"A verdade deve manifestar-se em nossos pensamentos, nossas palavras e nossas ações"
 
Mahatma Gandhi
"Jamais permita que os nós tapem a vista da janela, pois será através dela que enxergaremos a oportunidade dos laços!"

 

Áureo dos Santos