O equívoco do recomeço

Então é janeiro!

 

Primeiro mês do ano, iniciado por um feriado dedicado à confraternização universal. Só alegria, celebração, festas, férias... É tudo novo, só que não. Durante as comemorações, você é orientado a pensar sobre o que esperar do novo ano, iniciando o equívoco. O ano não pode fazer nada por você, é inútil esperar algo dele, é só uma data no calendário.

 

Janeiro remete a recomeço, mas... Recomeçar o ano novo é bem diferente de recomeçar no ano novo.

 

Entendendo o equívoco

 

Recomecei o ano novo passa ideia de transição. Porém, o ano apenas começou novamente para você, nada muda. O recomeço é dele.

 

De volta a rotina, recomeço é substituído por renovação: das matrículas, dos seguros, do material escolar e toda aquela lista interminável de coisas. Sua realidade lhe mostra que tudo continua igual, inclusive seus problemas, que estão estacionados à espera de suas ações. Só o ano mudou, o roteiro se repete. Você percebe que, na prática, isso não tem efeito significativo em sua vida.

 

Recomecei no ano novo, refere-se a você, significa começar a ser novamente. O ano é apenas uma referência. O verbo assume sentido intransitivo: não requer complemento - você é o sujeito e o objeto da mudança – e essa ação não pode ser passada a outra pessoa. O recomeço é seu.

 

Não sei quando, nem quem iniciou essa confusão de relacionar cada novo ano com um recomeço pessoal. Recomeço não é um processo fácil, não está ligado a um mês específico. Não adianta compará-lo a uma taxa de matrícula e agendar data fixa.

 

Recomeço é um processo com múltiplos pré-requisitos, requer trabalho e dedicação. É uma etapa de construção e crescimento, sem manual de instruções ou mapa prontos. Por isso, não tem data fixa para iniciar, nem período de duração pré-determinado. Mas, você sempre entra na mesma confusão: o ano termina e você se ver obrigad@ a prestar contas de um processo de recomeço que não foi seu.

 

Orientando o processo

 

Se você quer recomeçar, a abordagem correta é sobre o que esperar de você, ou melhor, o que você está disposto a construir a partir deste momento. Se, apesar da necessidade ou vontade, não tem nada em mente no momento: tudo bem, não faça metas para serem ignoradas. Dedique um tempo a mais para entender o que realmente quer, abandone essa mania de falácia e o “fazer por fazer”, sem compromisso.

 

Para facilitar o processo de reflexão, relacione os melhores períodos da sua vida e pense sobre a pessoa que você era nesses momentos sob diversos aspectos.

 

Normalmente, relacionamos esses períodos a um lugar, uma oportunidade de trabalho, eventos, companhias; ou seja, lugares, fatos, pessoas ou situações que não temos ação sobre eles. O tratamento correto da situação precisa ter você como foco.

 

Exemplos:

 

Lugar bom é aquele que lhe oferece a oportunidade de ser quem você gosta de ser. Você gosta da sua rotina, suas atividades, seu comportamento, ou seja, de quem você é neste lugar. Nesse aspecto, você pode selecionar os lugares que lhe permitam adotar cotidiano similar.

 

Emprego bom é aquele que lhe permite executar o que você gosta e lhe desafia a aprender coisas de seu interesse. Você gosta das suas realizações e das oportunidades de aprendizado; se identificá-las corretamente, pode estendê-las a outros lugares, aumentando suas oportunidades de emprego ou transformando-as em seu trabalho, eliminando a dependência do emprego.

 

Colocando em prática

 

Pense sobre os melhores anos da sua vida. Anote todos os aspectos que lembrar (positivos e/ou negativos) para cada item. Seja o mais objetivo possível. Observação: são anotações particulares, não compartilhe na rede.

 

  • O que lhe fez considerar estes anos como os melhores da sua vida?
  • O que mudou para o ano seguinte não ser considerado tão bom quanto o anterior?
  • Como era sua rotina?
  • O que você fazia para ser quem era?
  • Como era o lugar onde você vivia?
  • Quais eram suas companhias e como era a relação entre vocês?
  • Quais eram seus sonhos e projeções?
  • Quais foram suas realizações?
  • Quais foram seus aprendizados?
  • Você se ver em condições de recomeçar sua vida em acordo com as características levantadas nas questões anteriores? Justifique independente da resposta.

Se possível, converse com alguém próximo, que seja de sua confiança, sobre suas respostas. Se não, faça sua reflexão sozinho, mas seja honest@ consigo.

 

Considerações finais

 

Se você refletiu sobre as questões propostas, agora, sabe muito mais sobre você e encontrou diretrizes para descobrir-se cada vez mais. O autoconhecimento é muito importante em um processo de recomeço.

 

Quando você se dar o trabalho de se conhecer e define suas metas em acordo com suas reais necessidades e vontades, elas passam a fazer sentido e têm muito mais chances de serem cumpridas.

Comece aos poucos; seja o mais específico possível; construa seu resultado; sinta o prazer de planejar e alcançar uma realização pessoal. Com o tempo, você adquire o hábito e o processo passa a ser contínuo.

 

Se conheça, recomece, construa o que deseja, se permita ser. Eu espero que assim, você viva com mais sentido.

 

Agora é com você: janeiro remete a quê? 

 

Abraços!

 

Fonte: https://www.linkedin.com/

"Jamais permita que os nós tapem a vista da janela, pois será através dela que enxergaremos a oportunidade dos laços!"
Áureo dos Santos