O número 3 em maçonaria

O número UM representa em Maçonaria ao Grande Arquiteto do Universo e não nos é possível compreendê-lo; o ser humano só pode compreender por comparação, por meio da dualidade, motivo pelo qual aparece ou surge o DOIS. Entretanto, desta compreensão surge “uma solução” aos contrários, se GERA terceiro. Pelo que podemos dizer que o número três é fruto da geração e nos permite intuir ao Grande Arquiteto do Universo, ao criador e gerador de todas as coisas. É por meio do três que compreendemos ao Criador. 

 

Tudo isto o podemos resumir dizendo que a Unidade somando ao Dois revela o Três, terceiro princípio que é o Ternário. É o primeiro número que se separa da unidade e que equilibra as forças opostas; é o número que coloca justiça nos pares contraditórios. 

 

O Três é um número capaz de dar a solução ao detalhe de que o número Dois é afirmação e negação; é o número que dá a síntese e dá a antítese. 

 

Tudo é Triplo e único, em tudo encontramos os três elementos; um agente que atua, um paciente que recebe e um efeito produzido; um primeiro termo ativo, um segundo passivo e um terceiro neutro ou de equilíbrio. 

 

Os povos da Antiguidade consideraram o número Três da maior importância. Para Virgílio 1 (70-19ac) “orne trinam perfectum” 2.

 

Os romanos e os gregos declararam que o número Três é um número agradável aos Deuses. Jenocrates 3, da Academia platônica antiga, representa à Divindade por um triângulo equilátero, primeira e mais prefeita de todas as figuras geométricas, já que tem três lados e três ângulos, simbolizando os 3 aspectos do Ser Supremo: A Vontade, a Sabedoria e a Inteligência. 

 

Como sabemos, o signo três é formado por 2 semicírculos que podem formar o círculo completo e esse é o símbolo da Alma, o princípio que reúne o oculto e o manifestado. O três nos devolve ao Um, o símbolo mostrado no início deste escrito acima nos diz graficamente, através do três em forma de três círculos, podemos alcançar o triângulo equilátero, símbolo do Grande Arquiteto do Universo, símbolo do Um.

 

Na obra “Os 33 temas do aprendiz” obra conjunta de Adolfo Terrones e Alfonso León, podemos ler acerca do número três o seguinte:

“Historicamente sabemos que entre os antigos povoados, o três era o mais Sagrado dos números; ainda quando é uma figura Aritmética, à que se  atribuíram algumas virtudes místicas, ao assegurar que é a base dos Signos da Perfeição, e por isso vemos que na Filosofia de Platão se a considerava como a imagem do Ser Supremo em suas três personalidades: a material, a espiritual, e a intelectual que é o que tacitamente determina a unidade homem, por cuja razão, talvez Aristóteles chegou ao convencimento de que o Três contém em si; ao princípio, ao meio e ao fim, o que também vem a indicar, que é o símbolo da perfeita harmonia, do fator de conservação e do progresso natural, entre todos os seres e as coisas. 

 

Na mitologia grega e romana, ao número três se tem considerado como o principal atributo dos sucessos legendários, como por exemplo: de diz que o raio de Júpiter era tridente; que o rei da estrela tinha três nomes, Sol, Apolo e Liber e que, da mesma forma, o planeta noturno era designado de três maneiras: Lua, Diana e Hécate; que também havia três fúrias e três destinos eram conhecidos, influenciando os espíritos dos homens.

 

Da mesma forma entre os Druidas, o número três era considerado como tendo uma grande influência em suas práticas sagradas, e mais tarde os Mithras, supuseram que o empíreo era sustentado por meio de três inteligências: Ormuzd, Mithra e Mithras e assim sucessivamente ao número três, um caráter universalmente místico foi dado ou atribuído através dos tempos”.

 

Podes já começar a intuir que o três é um número de grande importância. A Maçonaria reconhece dita importância até ao ponto de fazê-lo o número do aprendiz. É o primeiro número a ser estudado profundamente e dito estudo se extende em todos os graus seguintes. 

 

O três aparece por todas as partes a nosso redor, não em vão, é representante da geração, fonte básica da origem de todo o conhecido. Assim, não há religião que dê um modo ou outro tenha uma Trindade definida: 

 

No Cristianismo temos o Pai, o Filho e o Espírito Santo. 

 

  • Nos egipcios temos a Isis, Osiris e Horus.
  • Entre os hindus encontramos a unidade superior chamada Brahma, que se manifesta em Brahma, representando o pai, Xiva indicando a mudança e Vixnu como um elemento conservador. 
  • Na filosofia Yoga existem três princípios universais, chamados os três Gunas, que são: Rajas, princípio da atividade, elemento expansivo; Tamas, princípio da inércia, elemento da contração; e Sattiva, princípio conciliador, elemento equilibrador.

No dia a dia podemos por exemplos como os seguintes: Três são as cores básicas a partir dos quais é possível gerar todo o resto de cores possíveis.

 

A primeira figura geométrica se forma com três lados e ao mesmo tempo só há três tipos de triângulos possíveis: equilátero, isósceles e escaleno. Três são os tipos diferentes de alavanca que existem: primeiro, segundo ou terceiro grau. Três são os reinos da natureza: animal, vegetal ou mineral.

 

O Templo de Salomão contra três departamentos, em que se rendia culto a três imagens: a da terra, a dos mares e dos céus; também havia que penetrar a três Câmaras de preparação, antes de receber a Luz: a da Verdade, a das Ciências e a das Artes; dentro dos antigos Templos Iniciáticos, teria que passar através de três aposentos: o preto, o azul e o vermelho. 

 

Mas, se queres algo que demonstre a grande importância do três para o Ser Humano só tens que recordar que toda tua existência, toda tua vida, tudo o que conheces e conhecerás, terá lugar no mundo Tridimensional.

 

Dento da loja, tudo te recordará o três: Três são os passos do aprendiz, três são as colunas donde se situam as três pequenas luzes, Três são os objetos depositados sobre o altar e que confirmam o símbolo da Ordem:

Volume da Lei Sagrada, Esquadro e Compasso, três são os oficiais encarregados da formação dos Irmãos: Venerável, 1º e 2º Vigilantes, Três são os golpes do grau de aprendiz, por três vezes se diz a exclamação escocesa, por três vezes se deseja Saúde, Força e União e a cadeia de União…

 

E aqui o deixo, querido irmão, agora é o tua vez de seguir aprofundando neste número, teu número. 

 

* Mario Lopez

 

Fonte: https://iluminando.org/2020/09/27/hablemos-de-11-de-17-el-numero-3-en-masoneria/

Tradução livre feita por: Juarez de Oliveira Castro

"A verdade deve manifestar-se em nossos pensamentos, nossas palavras e nossas ações"
 
Mahatma Gandhi
"Jamais permita que os nós tapem a vista da janela, pois será através dela que enxergaremos a oportunidade dos laços!"

 

Áureo dos Santos