Para alcançar a felicidade (Ensaio)

 

A humanidade transformou-se em uma grande família. Se você quer ser feliz, precisa garantir a prosperidade de todos e resignar-se a ver os outros também felizes. 

 

A felicidade - Vivemos numa época em que a vontade material se sobrepõe à vontade espiritual, o homem se sujeita a ser escravo de suas paixões, quando na verdade sua liberdade deve ser o alvo primordial para o alcance da felicidade.

 

A Humanidade, no curso de sua história e através de sucessivas gerações, tem-se empenhado na procura de soluções para inumeráveis dificuldades e infortúnios. Busca, avidamente, encontrar termo para várias enfermidades que ceifam vidas em todas as suas fases. É a eterna luta para que não feneça a esperança. A felicidade, porém, que é, na verdade, o maior anseio do ser humano, parece inconquistável na Terra.

 

A sociedade humana será menos desafortunada na medida em que puder corrigir as diferenças existentes entre as condições de vida de ricos, pobres e miseráveis, e, desse modo, amenizar sofrimentos e dores para poder implantar no mundo a verdadeira justiça social inspirada na Maçonaria e remover a afronta infamante das desigualdades sociais, a qual desonra a grandeza da espécie humana. 

 

O ser humano necessita percorrer longo caminho até adquirir consciência da verdadeira felicidade. A riqueza, as posições elevadas, beleza e saúde, mocidade são vulgarmente consideradas como condições que fazem a pessoa ditosa. Entretanto, são na realidade, enganosas. Mesmo que a pessoa apresente todas elas, o que é raro e indiscutivelmente efêmero. A verdadeira ventura é a conquista dos bens morais inamovíveis da alma e que fazem sábia e bondosa para poder estar mais perto do Criador.

 

Enquanto a verdadeira felicidade não chega, podemos, dentro das nossas limitações, ter uma felicidade relativa, fazendo o bem e ficarmos felizes com a felicidade do próximo.

 

Recentemente cientistas concluíram que a felicidade depende de quatro fatores que se apresentam como necessidades: otimismo, alegria, coragem e sabedoria. A Maçonaria reafirma esses fatores.

 

O Amor e a fraternidade - A ausência dos sentimentos de amor e fraternidade que está no íntimo das criaturas é a causa principal das desavenças, dos conflitos, das violências e de inúmeros atos lamentáveis.

 

Sabemos as dificuldades que a humanidade enfrenta para alterar os hábitos do passado, os pensamentos pequenos, os atrasos intelectuais e morais, esquecendo que não há outro caminho senão praticar o “Amar ao próximo como a si mesmo”, que é a essência da caridade.

 

A pessoa sensível não pode estar alegre e feliz sabendo que por toda parte há quem esteja com fome, crianças sem colégio, doentes carentes de medicação, gente sem teto, sem lar, morando nas ruas.

 

O conhecimento e a prática - A grande trajetória do homem inteligente vai da busca do conhecimento em direção à sabedoria pela prática desse conhecimento. Dizemos sabedoria porque de que adianta conhecer e não praticar? A inteligência planta, e a sabedoria apresenta os frutos do conhecimento.

 

Assim, não pretendemos formar seguidores para a Maçonaria, mas, simplesmente, tentar conscientizar o amigo para a necessidade da mudança interior, para a fraternidade entre as pessoas. Enfim, para a prática de olhar seu semelhante vendo nele a si próprio e em si enxergando o próximo, como originário da mesma fonte de sabedoria, a sabedoria suprema, o Grande Arquiteto do Universo, o Criador de todas as coisas – DEUS.

 

A busca da perfeição - Deus criou seus filhos suscetíveis de aperfeiçoamento e com a felicidade que dele decorre. Não lhes deu, contudo, a perfeição; pois quis que a obtivessem por seus próprios esforços a fim de que também e realmente lhes pertencesse o mérito.

 

Diz-se que a Maçonaria é uma escola de perfeição buscando o aperfeiçoamento do homem. O ser humano foi constituído perfeito, porque é obra da Divindade. Somente Deus cria tudo Justo e Perfeito.

 

Jocosamente, quando alguma mulher pergunta por que a Maçonaria não aceita em seu seio a mulher, a resposta é que, sendo a Maçonaria uma Escola de Perfeição e tendo a mulher já nascido perfeita, dela não necessita.

 

A Maçonaria é uma instituição humana, logo seria um absurdo se ela pretendesse abrigar em seu seio unicamente homens perfeitos.

 

Talvez o que pretendemos seja perfeito contenha elementos desconhecidos, fora do nosso alcance humano.

 

Todavia, o ser espiritual, que é eterno, esse é perfeito. Busque espiritualizar-se e descobrirá em si a perfeição.

 

Com isso queremos dizer que Deus, quando cria os homens (espíritos), cria-os todos iguais. De acordo com seu trabalho, seu crescimento para o bem, para a felicidade, alcança a perfeição relativa, aproximando-se de seu Criador. Se fossem criados uns melhores que outros não haveria justiça. 

 

Influência da Maçonaria – A Maçonaria é fonte exuberante e inexcedível de lições dirigidas para o aperfeiçoamento do senso moral do ser humano. Suas Instruções são imprescindíveis para que seus adeptos se disponham a progredir, a vencer as trevas da ignorância e encontrar a verdadeira ventura.

 

A influência que a Maçonaria pode exercer é apenas de ordem moral, pelo exemplo dos seus membros através da aplicação dos seus princípios.

 

Engana-se quem pensa que, ao juntar-se à Maçonaria, terá porta aberta para obter contatos, negócios e dinheiro. Os negócios da Maçonaria são de índole moral e espiritual.

 

Curiosidade – Se é a curiosidade que o faz desejar ser maçom, não precisa ser maçom para o saber. Está tudo publicado em livros, filmes e Internet. Não garantimos que tudo esteja certo, mas são meios de satisfazer curiosos.

 

Há uma opinião bastante generalizada, entre os Maçons, de que o candidato não deve ser movido pela curiosidade ao pedir a sua admissão na Ordem. Mesmo antes de passar pela cerimônia de Iniciação, é indagado e alertado para que se  foi a curiosidade que o conduziu até a porta do templo, deve retirar-se porque se for um dissimulado ou hipócrita, será descoberto. Mas sendo movido por uma curiosidade louvável, de desejo de conhecimento que leva o profano a buscar, honrada e abertamente, a familiarizar-se com mistérios da Instituição que já aprendeu a respeitar, pode ser considerado um motivo admissível.

 

Combate aos vícios – A Maçonaria combate com destemor tudo que humilha ou rebaixa o homem, ou seja, o vício. O egoísmo e o orgulho estão na raiz do extenso rol das vilezas e torpezas humanas.

 

Se uma pessoa sente inveja de outra, se fica com raiva em vê-la crescer, ela poderá atrair doenças e muitas vezes, ao ver a pessoa a quem inveja, sentirá um aperto no coração. Poderá ter problemas de saúde, como úlcera, gastrite, problema do coração e, como se não bastasse, ficará com sua mente voltada o tempo todo para aquela pessoa, esquecendo-se de viver a sua própria vida.  Além disso, passará a ter dificuldade para dormir, problema de mau humor; enfim, tudo isso é uma reação pelo mau ato ou pensamento, que gerou dentro de si os problemas que estão surgindo em sua vida. Frequentemente, a pessoa nem percebe que tudo o que sofre tem ligação profunda com seus atos ou pensamentos.

 

Depende exclusivamente de o candidato modificar seus pensamentos, suas atitudes, para adentrar à Sublime Instituição, regulando antes suas sensações, disciplinando seus sentimentos, dominando uns e outros.

 

* Valdemar Sansão 

    vsansao@uol.com.br

"A verdade deve manifestar-se em nossos pensamentos, nossas palavras e nossas ações"
 
Mahatma Gandhi
"Jamais permita que os nós tapem a vista da janela, pois será através dela que enxergaremos a oportunidade dos laços!"

 

Áureo dos Santos