Pensamento

Neste momento, em meio a pandemia onde se prolifera o vírus invisível e que tem feito tantas vítimas fatais pelo mundo, que tem feito a sociedade ficar em casa, em afastamento social enfrentando o desafio de reaprender a viver, a conviver consigo e com o outro, a dar valor a vida, a entender o que acontece e o que está por vir, pois certamente não o futuro não será como o passado.

Essa mesma pandemia que apavora os economistas, empresários, trabalhadores, que ameaça o sustento da família e a manutenção da própria vida. Tal qual o veneno que é qualquer coisa além do que precisamos. E isto serve para o poder, a preguiça, a comida, o ego, a ambição, o medo, a raiva ou o que for. É preciso buscar o equilíbrio e jamais nos fixarmos nos extremos, lembrando que alguns remédios e vacinas são extraídos dos venenos.

Essa mesma pandemia que isola o ser em seu íntimo nos dá aquilo que os nossos antepassados mais tinham e que na atualidade mais valorizamos e menos temos disponível, o Tempo. Nós que tivemos o privilégio de sermos iniciado nos Augustos Mistérios, essa escola de moral e formação do ser, que nos dá todo o alicerce para evoluirmos e sermos melhores homens, tendo a oportunidade de refletir sobre o verdadeiro sentido de Conhecer-se e Aperfeiçoar-se.

Que nos aponta o objetivo de tornar feliz a humanidade pelo amor, assim não tenhamos medo de andar, mas sim, tenhamos medo de não andar. Devemos entender que todos nós, sem exceção somos uma consciência eterna, que viajamos em busca de experiências. Precisamos nos dar conta, porém que a eternidade existe neste exato momento presente, no aqui e no agora. O passado já se foi. O futuro ainda não aconteceu. É nesta dimensão presente que podemos agir e interferir realmente no rumo de nossa existência.

Para alguns de nós o tempo é apenas uma miragem para nos dar uma sensação de continuidade, temos que aprender a não ter pressa ou ansiedade ao trilharmos o caminho da vida, precisamos, isto sim, trilhá-lo de maneira consciente, atenta, sensível, responsável, mas com a alma leve e pouca bagagem.

Deixemos para traz os excessos, as certezas absolutas, as crenças empoeiradas. Fiquemos apenas com o essencial! E essencial é somente o que cabe no nosso coração! Estejamos, portanto, sempre abertos para o novo, sem preconceito ou limitações. Olhemos para tudo como uma criança sem malícia, mantendo viva a capacidade de se conectar com tudo e, assim, preservarmos intacta nossa pureza. Pois o homem não morre quando para de bater seu coração. Morre quando de alguma forma deixa de se sentir importante.

O significado da expressão “ser importante”, vem de importar que é quando alguém me leva para dentro de si, me carrega em seu coração, me coloca do lado de dentro do peito. Assim somos nós importantes? Para sermos importante é preciso transbordar, no sentido de ir além da nossa borda.

E o tempo, ah o tempo, esse que passa desapercebido e quase sem importância por aqueles que não o valorizam, este tempo que é o hoje que somos, deve ser aproveitado em sua plenitude e nós Maçons temos o dever de aproveitá-lo para fazermos o bem e sermos melhores a cada momento, de maneira que hoje posso afirmar a cada um dos senhores que pelo Amor, importei todos vocês meus Irmãos para dentro do meu peito e os carrego em meu coração, para todo o sempre.

Que este seja um exercício diário para que nossas ações de hoje sejam as mais adequadas para todos, no intuito de que possamos cumprir nosso objetivo que é tornar Feliz a Humanidade.

Anderson Redinha Malgueiro
Deputado do Grão-Mestre

"A verdade deve manifestar-se em nossos pensamentos, nossas palavras e nossas ações"
 
Mahatma Gandhi
"Jamais permita que os nós tapem a vista da janela, pois será através dela que enxergaremos a oportunidade dos laços!"

 

Áureo dos Santos