Princípios e conflitos

Conflito é um dissenso e ele decorre de interesses contrariados ou de expectativas frustradas diante de um posicionamento contrário. A partir daí, as partes, em razão desse conflito de valores, colocam-se em posições contrárias e passam a entender que a parte que contrariou é infiel ou um inimigo.

Via de regra, os conflitos surgem por variáveis pessoais como a personalidade, as experiências anteriores e as expectativas socioculturais, que formam o potencial individual de agressão, dirigindo o comportamento. Dentre estas últimas, variáveis como cultura familiar e exposição à mídia violenta também influem, no sentido de seu incremento ou diminuição, por meio de aprendizagem (Green, 1990).

Mas a grande questão é que nem sempre as pessoas vão concordar com tudo, por isso é necessário o contraponto, até para as ideias serem melhoradas e o mundo evoluir. Imagine se Erastótenes de Cirene, um matemático grego, não tivesse contestado a teoria de que a terra seria quadrada? Ou se Colombo não tivesse se arriscado mar adentro para corroborar a teoria?

É por esse motivo que a dialética (tese, antítese e síntese) tem que servir de base para que os conflitos não sejam superestimados e se tornem uma guerra pelo fato de existir discordância entre teorias ou posições. A dialética deve fazer parte do jogo.

Há uma célebre frase de John F. Kennedy que diz o seguinte: ”Não conheço nenhuma fórmula infalível para obter o sucesso, mas conheço uma forma infalível de fracassar: tentar agradar a todos”.

É nesses momentos que a consciência ética (conjunto de valores morais), a responsabilidade, o amadurecimento, a sabedoria e o respeito ao próximo devem imperar, fazendo com que a contradição entre no jogo e ninguém queira se impor pelo grito, mas sim pelo convencimento respeitoso e pelas atitudes, já que o mundo atual não pode mais comportar a falta de caráter, a falsidade, a má vontade e o jogo duplo. Nas relações empresariais e na família o que deve valer é o caráter, a honestidade e a sinceridade. Por isso temos que estar do lado do justo.

Então, construa o hoje para que exista futuro. Quando escrevi esta frase, veio-me à mente um pequeno texto escrito por Thayni da Silva Librelato: “Se me perguntarem o que é o futuro, vou dizer que é algo que vai acontecer. Se me perguntarem o que é destino, vou dizer que é algo que está traçado. Agora, se me perguntarem se o futuro já está traçado, vou dizer que quem faz o futuro é o presente. E se me perguntarem o que é o presente, posso usar uma imagem: um pai e uma filha, caminhando felizes de mãos dadas, de costas para o passado, na estrada da vida, vivendo o presente e caminhando para o futuro predestinado. Jamais vou esquecer esta cena. Por isso, aproveite o hoje”.

Ulisses Gabriel

Presidente da Adepol-SC.

Fonte: Opinião do Jornal “Notícias do Dia” – Santa Catarina.

Mas a grande questão é que nem sempre as pessoas vão concordar com tudo, por isso é necessário o contraponto, até para as ideias serem melhoradas e o mundo evoluir. Imagine se Erastótenes de Cirene, um matemático grego, não tivesse contestado a teoria de que a terra seria quadrada? Ou se Colombo não tivesse se arriscado mar adentro para corroborar a teoria?

"Jamais permita que os nós tapem a vista da janela, pois será através dela que enxergaremos a oportunidade dos laços!"
Áureo dos Santos