Tornar feliz a Humanidade - Reflexões sobre a felicidade.

“Tornar feliz a humanidade, pelo amor, pelo aperfeiçoamento dos costumes, pela tolerância, pela igualdade e pelo respeito à autoridade e à crença de cada um”.

O objetivo, ou melhor, a missão que a Maçonaria se propõe é muito nobre. Na verdade, tornar feliz a humanidade tem sido um objetivo de muitos. E certo dizer que ao seu modo, cada qual que se entregou nesta missão, atingiu algum resultado positivo, ainda que este seja tão somente a sincera intenção.

A busca pela felicidade tem sido o alvo central para grande parte das pessoas e reflete os desejos mais íntimos do ser humano, seus sonhos e tudo aquilo lhe da prazer. Isto posto, chegamos a uma indagação: o que e felicidade?

Resumir o conceito de felicidade como sendo meramente o que lhe da prazer e uma tendência hedonista ou epicurista. Estas tendências representam doutrinas filosófico-morais, nascidas na Grécia por volta do sec. IV a.C., que pregavam que a felicidade consistia em ter prazer. O problema nestes casos e que o prazer e normalmente momentâneo e se resume a uma causa isolada e egoísta.

Parece-me que a felicidade – digo, a felicidade verdadeira – precisa ser resultado de um todo. Ou seja, o conjunto das nossas ações – conscientes e realistas – devera nos proporcionar felicidade, ainda que nem sempre tenhamos êxito em todas nossas ações, não significa que não seremos felizes.

Analisemos a historia abaixo:

“O rei, em sua riqueza e saciedade dos prazeres da vida, percebia-se ainda em uma infelicidade que nenhuma comida, bebida, mulher ou maravilha do leste poderia dar fim. Pergunta a seu conselheiro “Não há, no reino, posição maior que a minha, ninguém pode mais, ou tem mais motivo que eu para estar bem. E por que eu não estou? Por que me sinto assim? E o conselheiro lhe diz “V. Majestade é um homem bom. Olhe pelo povo e encontrará um fim à sua infelicidade”. (Acesso em 28 de novembro de 2014).

Ora, a reação do rei na história não nos e comum?

A felicidade e parte fundamental em nossas vidas: eleva e motiva nosso espirito; faz bem para nossa saúde; dá-nos esperança e muito mais. No entanto, a felicidade deve fazer parte constantemente de nossas vidas e nao ser um mero acaso, com o qual somos brindados.

Analisemos agora a recomendação do Dr. Viktor E. Frankl: “Não procurem o sucesso. Quanto mais o procurarem e o transformarem num alvo, mais vocês vão errar. Porque o sucesso, como a felicidade, não pode ser perseguido; ele deve acontecer, e só tem lugar como efeito colateral de uma dedicação pessoal, ou como subproduto da rendição pessoal a outro ser. A felicidade deve acontecer naturalmente, e o mesmo ocorre com o sucesso; vocês precisam deixá-lo acontecer não se preocupando com ele. Quero que vocês escutem o que sua consciência diz que devem fazer e coloquem-no em prática da melhor maneira possível. E então vocês verão que a longo prazo – estou dizendo: a longo prazo! – o sucesso vai persegui-los, precisamente porque vocês esqueceram de pensar nele”. (Viktor E. Frankl, prefacio do autor a edição de 1984 do livro ‘Em busca de sentido’, Viena, 1993).

Dr. Frankl foi prisioneiro em vários campos de concentração, entre eles Auschwitz. Antes de ser liberado, por três anos, além de prisioneiro, atuou como medico psiquiatra. Sua experiência transformou-se em vários livros, especialmente o citado acima. Ele observou que as pessoas que possuíam um proposito em suas vidas, alguém por quem lutar, um trabalho importante a terminar, mesmo naquelas circunstancias extremas; eram mais resilientes aos maus-tratos e mais dispostas a resistir aquele período do que as pessoas que não possuíam. Em seu livro, ele diz que “Tudo pode ser tomado do ser humano,menos uma coisa… a última das liberdades humanas – escolher a ação a ser tomada em uma dada circunstância, escolher o próprio caminho”. (Cf. Acesso em 28 de novembro de 2014).

A observação do Dr. Frankl certamente nos faz refletir. Quem tem um proposito na vida muito provavelmente conseguira encontrar um sentido para tudo na vida, para as coisas boas e ruins.

Também é muito provável que desfrutara de verdadeira felicidade, pois o vazio passa a ser preenchido por um sentido.

Se voltarmos a historia do rei infeliz, percebemos claramente que sua felicidade, ou melhor, sua vida não tem sentido, não tem proposito. Sua felicidade era egoísta. Tanto que seu conselheiro bem observou: “Olhe pelo povo e encontrara um fim a sua infelicidade”. Talvez ai esteja o segredo para darmos sentido para a nossa vida e desfrutar de felicidade verdadeira, olhar para o próximo, tornar feliz não apenas nos mesmos, mas a HUMANIDADE.

Uma pesquisa norte-americana chegou a algumas conclusões interessantes (Extraído de https://prismacientifico.wordpress.com/2013/04/12/a-procura-da-felicidade-vs-a-procura-do-proposito-de-viktorfrankl/ Acesso em 28 de novembro de 2014).

“a) Ver um ideal cumprido traz as mesmas sensações de completude que ter uma vida que lhe permite comprar uma Ferrari. Podem ser em intensidades diferentes para cada pessoa, mas acontece;

b) Para os entrevistados, uma vida “Feliz” foi mais associada a uma vida fácil, saudável, a sentir-se bem, ser capaz de comprar o que precisa e o que quer, além de falta de estresse, preocupações e não-engajamento em desafios ou pensamentos profundos. Contudo, em uma perspectiva social, pessoas que buscam uma vida mais feliz tendem a ter comportamentos mais centrados em si mesmos – captores –, sendo menos propensas a tomar decisões sociais em prol do grupo, mas tomando decisões sociais em prol de si;

c) Já o estilo de vida centrada em um Propósito não mostrou muita associação com as variáveis referentes a bem estar ou ao impacto do bem estar. Contudo, as maiores associações foram com as variáveis sociais, como presentear os outros, cuidar de crianças (ou outros) e… discutir [exato discutir!]. Além disso, pessoas guiadas por um propósito tendem a tomar decisões sociais com o referencial no grupo e não em si – doadores –, fazendo sacrifícios em prol do grupo, mesmo que isso venha às custas de sua própria felicidade [no caso o estado fisiológico]. O estudo também mostrou que pessoas com propósito se preocupam e se estressam mais e são mais ansiosos que pessoas felizes. Isso é interpretado como causado pelo fato de eles investirem suas vidas em uma causa maior que eles mesmos“.

Certa vez ouvi numa canção a seguinte frase: “Felicidade não existe, o que existe na vida são momentos felizes” (“A noite mais linda do mundo”, canção de autoria de Odair José, conhecido pela sua outra canção “Pare de tomar a pílula”). Não vamos nos deixar levar por esse pensamento. A felicidade é sim possível. A maçonaria em suas ações deve sempre revelar o seu propósito de existência: a sua missão, tornar feliz a todos. Além disso, espera-se que a maçonaria nos ajude a buscar um sentido para nosso viver e a enfrentar os problemas, enfim, encontrar a verdadeira felicidade.

Que o G.˙.A.˙.D.˙.U.˙. nos ajude sempre a “dar, segundo por segundo, ao minuto fatal todo o valor e brilho”.

Referencias bibliográficas e outras, indicadas no corpo do texto.

Anexo

Algumas frases retiradas do best-seller “Em Busca de Sentido”, publicado em alemão em 1945. (https://www.ultimato.com.br/revista/artigos/327/uma-palavra-de-viktor-emil-frankl-para-animar-osdesalentados)

Sobre a arte de viver

• Não procurem o sucesso. Quanto mais o procurarem e o transformarem num alvo, mais vocês vão errar. Porque o sucesso, como a felicidade, não pode ser perseguido; ele deve acontecer, e só tem lugar como efeito colateral de uma dedicação pessoal a uma causa maior do que a pessoa, ou como subproduto da rendição pessoal a outro ser.

• A vontade de humor -- a tentativa de enxergar as coisas numa perspectiva engraçada -- constitui um truque útil para a arte de viver.

• Com o fim da incerteza chega também a incerteza do fim.

• Quem não consegue mais acreditar no futuro – seu futuro -- esta perdido num campo de concentração.

• O prazer e deve permanecer efeito colateral ou produto secundário. Ele será anulado e comprometido a medida que se fizer um objetivo em si mesmo.

• O ser humano e um ser finito e sua liberdade e restrita.

Sobre o sentido da vida

• Ouso dizer que nada no mundo contribui tão efetivamente para a sobrevivência, mesmo nas piores condições, como saber que a vida da gente tem um sentido.

• O que o ser humano realmente precisa não e um estado livre de tensões, mas antes a busca e a luta por um objetivo que valha a pena, uma tarefa escolhida livremente. O que ele necessita não e a descarga de tensão a qualquer custo, mas antes o desafio de um sentido em potencial a espera de ser cumprido.

• O sentido de vida difere de pessoa para pessoa, de um dia para o outro, de uma hora para outra. O que importa, por conseguinte, não e o sentido da vida de um modo geral, mas antes o sentido especifico da vida de uma pessoa em dado momento.

• O sentimento de falta de sentido cumpre um papel sempre crescente na etiologia da neurose.

• As pessoas tem o suficiente com o que viver, mas não tem nada por que viver; tem os meios, mas não tem o sentido.

• O niilismo não afirma que não existe nada, mas afirma que tudo e desprovido de sentido.

Sobre a arte de sofrer

• Se e que a vida tem sentido, também o sofrimento necessariamente o terá. Afinal de contas, o sofrimento faz parte da vida, de alguma forma, do mesmo modo que o destino e a morte.

Aflição e morte fazem parte da existência como um todo.

• Precisamos aprender e também ensinar as pessoas em desespero que a rigor nunca e jamais importa o que nos ainda temos a esperar da vida, mas sim exclusivamente o que a vida espera de nós.

• Deus espera que nao o decepcionemos e que saibamos sofrer e morrer, não miseravelmente,  mas com orgulho!

• Ninguém tem o direito de praticar injustiça, nem mesmo aquele que sofreu injustiça.

• Quanto mais uma pessoa esquecer-se de si mesma --dedicando-se a servir uma causa ou amar outra pessoa --, mais humana será e mais se realizara.

• Sofrimento, de certo modo, deixa de ser sofrimento no instante em que se encontra um sentido, como o sentido de um sacrifício.

• O sofrimento desnecessário e masoquismo e não ato heroico.

Sobre o “nem tudo está perdido”

• Se houve um dia na vida em que a liberdade parecia um lindo sonho, vira também o dia em que toda a experiência sofrida no passado parecera um mero pesadelo.

• O ser humano e capaz de viver e ate de morrer por seus ideais e valores.

• O passado ainda pode ser alterado e corrigido.

• Quando já não somos capazes de mudar uma situação, somos desafiados a mudar a nos próprios.

• Quando o paciente esta sobre o chão firme da fé religiosa, não se pode objetar ao uso do efeito terapêutico de suas convicções espirituais.

• Uma das principais características da existência humana esta na capacidade de se elevar acima das condições biológicas, psicológicas e sociológicas, de crescer para além delas.

• As pessoas decentes formam uma minoria. Mais que isso, sempre serão uma minoria.

Justamente por isso, o desafio maior e que nos juntemos a minoria. Porque o mundo esta numa situação ruim. E tudo vai piorar mais se cada um de nos nao fizer o melhor que puder.

Fonte: JB News – Informativo Nº 1.768 – Florianópolis (SC).

VOLTAR

"A verdade deve manifestar-se em nossos pensamentos, nossas palavras e nossas ações"
 
Mahatma Gandhi
"Jamais permita que os nós tapem a vista da janela, pois será através dela que enxergaremos a oportunidade dos laços!"

 

Áureo dos Santos