Um voo para liberdade

Um voo para liberdadeDesde remotos tempos, em todas as mitologias e religiões, as aves, em suma, conotam a liberdade. Em nossa vida não é diferente. A liberdade é uma premissa inata cujo próprio homem se encarregou de miná-la, por sua própria conta e risco. Não por acaso, mas por herança e ignorância.

 
Mesmo após a transição do Eon de Piscis para Aquarius, ainda trazemos em nosso código genético, muitas sequelas de uma raça que nitidamente se encontra prestes a sucumbir.
 
O sofrimento característico e íntimo dos descendentes desta Era de Peixes ainda é muito evidente e intenso. Justamente por Peixes, na astrologia, ser regido por Netuno. Netuno o planeta da transcendência para o plano espiritual, pelo sofrimento e despertando compaixão. Tem como elemento a água (sanguíneo) e portanto é úmido e como todos os Signos com elemento água (Câncer, Escorpião e Peixes) são cármicos.
 
Por terem a intuição mais aflorada, a mediunidade é mais transparente e tendem a ser mais emotivos e sensíveis, além de sofredores inescrupulosos em prol de suas paixões.
 
E, como vencer nossas paixões é um de nossos objetivos, por que não começamos pelas características pertinentes hereditárias?
 
A exemplo da própria mitologia cristão-católica, somente através do sofrimento, como penitência, atingiremos o ápice de nossa missão, ascendendo para um suposto céu e próximo de um também suposto deus.
 
Analisando friamente esta cadeia cíclica percebemos que o que fazemos, muitas vezes inconscientemente, remete-nos a algum tipo de sofrimento que, convertido em penitência nos aproxima mais dos demais e do messias que é por muitos, tido como uma das portas para o absoluto. É o princípio de religião.
 
Desmembrando etimologicamente o axioma inconsciente teremos:
In = do latim | Dentro
Con = adendo
Ciente = conhecedor, sabedor, douto
 
Também traduzido como irresponsável. É uma forma na qual utilizamos equivocadamente nossos desejos mais ocultos, quando realizados inteiramente sob vontade.
 
É também o LADO de DENTRO do SABER, portanto, o INCONSCIENTE é sim, por nós conhecido, ignorado e sublimado como a vontade além da vontade. Assim com um Insight é a resposta para nosso próprio questionamento e não vêm do “além” o inconsciente também pode ser resultante de respostas involuntárias às questões mais enclausuradas dentro de nós mesmos e que podem ser resgatadas com o aprofundamento do estudo e mergulho interno, compelido na fórmula alquímica conhecida por todos iniciados como "a busca da pedra filosofal".
 
Esta fórmula faz com que nos voltemos ao inconsciente para então, re­descobrirmos o que mais sabemos, trazendo à tona conhecimentos ocultos e internos que têm poder suficiente para executar verdadeiros milagres considerando nossa ótica cartesiana.
 
Se nossa herança pisciana nos encaminha ao sofrimento, basta identificarmos tal fato para, de imediato, interferirmos positivamente neste sentido. Isso não deixa de ser uma alquimia, mesmo que das mais brandas e superficiais.
 
A privação de nossa própria liberdade é uma destas heranças. Condiz inclusive com uma vertente do sofrimento necessário à Era recém terminada.
 
E é justamente neste ponto que este mergulho interior, mais uma vez, nos surpreende com sua perspicácia.
 
Os elementos e símbolos que a vida nos apresenta, subliminarmente, nos faz repensar alguns pontos de nossa própria vida.
 
Um destes símbolos são as aves, tão presentes em Ritos adotados por ordens iniciáticas e nas mitologias, que nos arrebata diretamente para esta conquista de liberdade.
 
Vejamos. Conhecemos o GALO, que representa também, MARTE (o Deus da Guerra dos Romanos e, portanto ARES dos gregos que tem muita similaridade com Javé dos hebreus) é o anunciador do novo dia, da batalha diária que o dia faz com a noite e o Sol com Nuit, sempre merecedor da vitória e clareando com raios fulgidos o novo período anunciado com louvor por Marte/Galo. Anuncia a NOVA VIDA, uma vez que o então, precisamos morrer para reviver.
 
Com sua penugem forte e caramelada, peito estufado e fôlego além do convencional, crista imponente e esporas vorazes, é um símbolo direto da NOVA VIDA, da renovação, do renascimento. É o Galo que desperta e anuncia a vinda do novo.
 
Como representatividade destes deuses (Marte | Ares | Jeová) remete também aos sacrifícios necessários de seus fiéis, para continuarem sob seus auspícios e trazerem sempre a vitória desta guerra simbólica que digladiamos diariamente, principalmente em busca das três premissas maiores: Quem sou? De onde vim? Para onde vou?
 
O três vezes grande, Hermes dos Egípcios, revelou alguns relatos acerca deste tema tão incômodo aos que procuram significado onde muitas vezes não existem, pelo menos neste plano.
 
Temos também, outra boa referência: a POMBA.
 
A que se encontra em voo livre tem o direito de sobrevoar os campos mais longínquos, mesmo correndo perigo, pois não tem consciência de nada além da matéria e, portanto só enxerga o que é visto com os olhos, mesmo que de uma posição privilegiada, acima de nossas cabeças.
 
Livre por todo o Oeste, esta pomba percebe sua importância e compreende também que necessita galgar alguns passos, sobrevoar outros horizontes, sentido Leste, pois ali contém segredos que involuntariamente deseja desvendar. Precisa "orientar-se" para diminuir seu risco de se tornar presa fácil no escuro e frio Oeste.
 
Algumas simbologias circunscrevem uma bomba que fica protegida pela trina verdade. O 3 que é uno. Assim protegida, voa livre também, porém, dentro da razão, com amor e sob vontade.
 
Conhecemos também a fábula difundida na Europa Medieval sobre o PELICANO que mitologicamente é confundido com o cisne em que Zeus se transformou para conquistar a atenção e o coração da mais bela mortal.
 
O pelicano ainda tem uma particularidade muito significativa que é, senão "a", "uma" de suas maiores características: Quando sua ninhada, faminta, precisa ser alimentada, a mamãe Pelicano, quando não encontra mais alimento, desprende partes de seu próprio corpo, com seu bico, para alimentá-los. É o exemplo vivo de doação. Doação por inteiro. O CORPO DE CRISTO dos cristãos. Dar de si ao próximo, mesmo que seu benefício vital seja afetado.
 
Fênix (ou Bennu) é uma das aves que integram o simbolismo. Renasce das próprias cinzas, após se incinerar na pira sagrada. Suas lágrimas têm poder de cura e seu renascimento é cíclico. Sempre quando atinge certa idade, já desgastada por horas de voo, se auto-incinera e renasce revitalizada e jovem. E o símbolo do renascimento cíclico que todos participamos. É o ciclo repetitivo de nossas vidas. É a ave do FOGO e por isso sua transformação dá-se onde descansa o FOGO, a CHAMA e o CALOR.
 
Há ainda uma águia chamada de Bicéfala presente na iconografia de várias culturas, que além dos muitos outros significados, tem também o de ser JUSTA, pois enxerga ambos os lados no mesmo instante. Somente fazendo uma profunda análise de nossa própria consciência conseguiremos ser Justos assim, pois nossa mente nos engana com lembranças herdadas e nem sempre vividas, muitas vezes sob um véu fino, porém de uma candura enganadora tremenda, fazendo-nos crer que nada de mais belo pode ser encontrado sob ele.
 
A exclusão de liberdade não é privilégio nosso.
 
Privamo-nos da liberdade que deveríamos ostentar cuja mais lastimável de todas estas privações é a da consciência!
 
Façamos dos emblemas de nossa vida um símbolo fertilizante de nossos augúrios ensejos e desejos, sempre sob vontade.
 
A liberdade é um destes desejos. Faça-se valer.

Voe mais alto.
Você PODE!



VaLEO
Leo Cinezi

Voltar

 

"Jamais permita que os nós tapem a vista da janela, pois será através dela que enxergaremos a oportunidade dos laços!"
Áureo dos Santos