V.I.T.R.I.O.L.

 

Que sabeis que a reflexão que vou vos ensinar ou compartir (se não já tenhas visto antes), é propriedade de León Zeldis Mandel: (Buenos Aires, 20 de junho de 1930), engenheiro, escritor, diplomático e maçom israelita. 

 

É autor de uma dezena de livros e muitos artigos sobre distintos aspectos da Maçonaria, matéria em que está considerado internacionalmente como um ilustre especialista. 

 

Iniciado a 30 de março de 1959 na Loja “América” nº 86, Grande Loja de Chile.

 

Em Israel , se filiou na Loja “George Washington” nº 30. Em 1970 ajudou a fundar a Loja “A Fraternidade” nº 62, primeira loja de fala castelhana em Israel, sendo seu segundo Venerável Mestre em 1971. Posteriormente tem sido fundador de várias lojas.

 

Tem ocupado vários cargos na oficialidade da Grande Loja do Estado de Israel, até receber o título de Grande Mestre Adjunto Honorário.

 

 

Na chamada maçonaria do Real Arco foi Principal do Primeiro Capítulo Har Sinay e no Supremo Capítulo de Israel chegou a Grande Capelão.

 

Nos graus superiores do Rito Escocês Antigo e Aceito, conhecidos como “graus filosóficos” da Maçonaria, fundou a primeira loja de Perfeição em castelhano (Unión Fraternal nº 10), e além de ocupar vários cargos, em 1996 foi designado Soberano Grão Comendador do Supremo Conselho do Grau 33 do Estado de Israel.

 

Na atualidade é representante das Grande Lojas de Espanha e de Chile diante da Grande Loja de Israel, assim como Venerável Mestre da Loja de Investigação Gvill nº 82 de Tel Aviv que desenvolve seus trabalhos em hebreu.

 

Foi diretor de revistas maçônicas, membro de numerosas instituições de investigação e está convidado sequentemente a ditar conferências sobre a história, o simbolismo e a filosofia da Maçonaria.

 

A palavra VITRIOL se mostra na Câmara das Reflexões, utilizada em alguns rituais maçônicos como o primeiro contato do candidato com a loja. Seu significado não é sempre aparente, ainda que sua origem alquímico se saiba bem.

 

A palavra se compõe realmente das iniciais de uma oração latina: VISITA INTERIORA TERRA RECTIFICANDO INVENIES OCCULTUM LAPIDEM

 

Visita o interior da terra e retificando encontrará a pedra oculta. Isto tem se interpretado como uma mensagem que incita ao iniciado para cavar em sua própria alma para encontrar a sabedoria. No entanto, examinemos mais profundo cada uma das palavras.

 

Visita. Uma visita, isto significa que a viagem do iniciado em sua alma deve ser uma viagem de duas vias como o curso seguido em um labirinto, que termina voltando ao ponto de partida. O iniciado não deve procurar ficar dentro. Ele vai e regressa. A visita.

 

INTERIORA. O interior. Isto se interpreta como que o princípio Hermético “Como é acima é também embaixo” se pode transformar em “o que é dentro também é fora”.

 

TERRA. A terra, um dos elementos alquímicos. O solo, a base, e também a matéria, terrestre (como contrário ao espiritual ou etéreo). O corpo.

 

RECTIFICANDO. Isto significa a um ato de purificação e de arrumação. O que está dobrado deve ser posto direito. O caminho reto se deve seguir.

Retificando nossos pensamentos e nossas ações nós encontraremos a verdade escondida.

 

INVENIES. Literalmente: “encontrará”. Da mesma raiz de “invenção”. Topando-se com algo (previamente desconhecido).

 

OCCULTUM. Aqui encontramos uma conexão com “occulum”, o olho. O T pode se referir a Templum, o templo. Isto se pode interpretar como o olho que tudo vê que mora dentro do Templo.

 

LAPIDEM. A pedra. A pedra tem muitas conexões com o sagrado. Os altares estão feitos de pedra. Os reis são coroados sentados em uma pedra. O simbolismo da pedra é extenso.  

 

Mostrando VITRIOL aos olhos do candidato, a intenção é ensinar a buscar dentro de sua própria alma, e o espírito para encontrar a pedra filosofal, isto é, a chave à compreensão e a vida eterna. Vitriol é também o nome de um composto químico: um sulfato cáustico de vários metais tal como cobre, ferro ou o zinco. O aspecto demoníaco de enxofre e a cor amarela se conhecem bem, isto, junto com o vermelho do cobre e o negro do ferro, são as cores básicas do simbolismo alquímico.

 

Os rituais dos primeiros graus do Rito Escocês Antigo e Aceito são influenciados totalmente pelo simbolismo de alquimia, e a decoração da Câmara de Reflexão é só um dos exemplos desta conexão.

 

Vejamos dita reflexão. Obrigado e um prazer.

 

Sergio Pita Andon

 

 

Publicado originalmente em:  https://iluminando.org/ 

"A verdade deve manifestar-se em nossos pensamentos, nossas palavras e nossas ações"
 
Mahatma Gandhi
"Jamais permita que os nós tapem a vista da janela, pois será através dela que enxergaremos a oportunidade dos laços!"

 

Áureo dos Santos